Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a nuvem cor de rosa

a nuvem cor de rosa

Tortilha de frango

PicsArt_02-05-04.48.01.jpg

Olá!

Ainda não vos contei, mas estou em whole30 desde o dia 1 de fevereiro! É verdade. Juntamente com 3 amigas, estamos neste aventura. E aventura porquê? Porque, realmente, é o descobrir de novas formas de nos alimentarmos, sem nada artificial, sem os maléficos açúcares, sem os tradicionais laticínios, sem as farinhas que estão em quase todo o lado. Mas, principalmente, sem desculpas! Não vale fazer batotas nem arranjar desculpas para desisitir.

 

E o que trago hoje para vocês é uma tortilha de frango que, para mim, é fantástica porque facilita imenso a nossa organização diária das tarefas na cozinha. Prepara-se na noite anterior, leva-se na marmita para o trabalho e ainda tem a vantagem de dar para várias refeições. No meu caso, comi um pouco ao lanche, comi mais ao jantar e ainda me sobrou para o jantar do dia seguinte!

 

Ah! Quase me esquecia! Outra mega vantagem... podemos aproveitar restinhos de carne ou peixe que existam lá no nosso frigorifico. Neste caso, usei frango, mas podemos usar salmão, carne assada, por aí fora.

 

Então vamos lá ver como a fiz.

 

Ingredientes:

300gr de peito de frango

Sal

Pimenta

Sumo de limão

1 colher de chá de colorau

200gr de cebola

Azeite

250gr de batata doce

6 ovos

4 tiras de pimento vermelho

10 azeitonas

5 tomates cherry cortados ao meio

 

Preparação:

Comecei por temperar o frango com o sal, a pimenta, o colorau e o sumo de limão.

Refoguei a cebola bem picadinha e acrescentei a batata doce cortada em rodelas finas, que já tinha sido previamente escaldada (não muito cozida, para não se desfazer).

Depois, acrescentei o frango e os pimentos e deixei cozinhar por uns minutos, mexendo sempre e envolvendo com as batatas.

Numa taça à parte, bati os ovos e juntei-lhes as azeitonas e os tomates.

Depois é só usar uma frigideira anti aderente grande e deitar tudo lá dentro, deixando cozinhar lentamente com o lume baixinho. Tapei para cozer mais facilmente. A meio da cozedura e quando já estava com consistência, virei a tortilha com a ajuda de um prato e deixei cozinhar do outro lado.

 

Pode servir-se quente ou fria e a acompanhar com uma salada verde. 

A-do-ro!

 

Abracinhos dos meus,

Catita.

Bacon caseiro

PicsArt_02-02-07.16.53.jpg

 

Olá!

O bacon é um ótimo aliado nos nossos cozinhados. Dá um sabor delicioso aos nossos ovos de pequeno almoço, fica delicioso a acompanhar legumes variados no forno, etc., etc. 

Por isso, decidi pôr mãos à obra e fazer o meu próprio bacon. Assim tenho a certeza de que não contém açúcar, nem aditivos desnecessários. 

 

Fiz uma pequena quantidade porque tive receio que não ficasse bem e também porque não sabia quanto tempo iria durar em condições no frigorífico. 

 

O primeiro passo é preparar a mistura com a qual vamos temperar a nossa barriga de porco. Num prato juntei:

4 colheres de sopa de sal

3 dentes de alho bem picadinhos

1 colher de sobremesa de colorau

1 colher de sobremesa de tomilho

1 colher de sobremesa de pimenta preta moída 

3 folhas de louro partidas

1 colher de sobremesa de coentros em pó 

PicsArt_02-02-07.18.12.jpg

Depois de tudo muito bem misturado, limpei a carne com um toalhete de cozinha, para lhe retirar a humidade, e esfreguei-a muito bem com a mistura. De seguida, enrolei a carne em película aderente, de modo a que pudesse descansar no frigorífico sem passar cheiros. Na verdade, ela vai ter que ficar 7 dias no frigorífico, sendo virada diariamente. Durante estes dias, a carne vai ficando mais dura e mais desidratada. 

PicsArt_02-02-07.19.31.jpg

Ao fim deste tempo, é hora de a passar por água, para lhe retirar o excesso de sal, limpando-a novamente com toalhete de cozinha. 

A última etapa é levá-la ao forno. Com a temperatura baixa, cerca de 90º, durante 2 ou 3 horas, virando a carne a meio do processo. No fim, cortei em tirinhas, guardei numa caixa no frigorífico e agora é só servir-me de um bacon saboroso e sem aditivos. 

O resultado é bom, o processo não é muito trabalhoso e acho que está na altura de repetir... 

 

Espero que façam o vosso próprio bacon e que apreciem tanto quanto nós cá em casa. 

 

Abracinhos dos meus, 

Catita.